Fadinhas Waldorf

As fadinhas Waldorf são a minha paixão. Além de deixar o quarto da minha filha lindo, elas também são ideiais para enfeitar uma festa de aniversário, compor mesas de época e propiciar um contato direto com materiais naturais.

Essas fadinhas abaixo já estão alegrando a vida de crianças de diversas cidades, mas você também pode ter uma. É só encomendar a sua!

Anúncios

A decoração do quarto infantil pode trazer paz ou o caos

“Numa idade em que as impressões sensoriais ainda exercem um efeito tão intenso sobre a formação dos órgãos, é fundamental para a criança a diferença entre ser exposta constantemente à visão de caricaturas, cores berrantes e superfícies lustrosas, e ter a oportunidade de conviver com cores suaves, cuidadosamente escolhidas e harmonizadas entre si, permitindo a respiração da alma”

A decoração do quarto infantil pode ser um instrumento para trazer calma, paz e relaxamento às crianças. Para isso, precisamos prestar atenção no emprego dos materiais corretos e acessórios que propiciem essas sensações.

Podemos tomar como exemplo as escolas Waldorf, que exalam tranquilidade em todos os seus ambientes. Quais são os principais elementos utilizados nesses locais? Madeira natural sem verniz, cores suaves, tecidos de tramas naturais e tapetes são encontrados em todas as instituições mundo afora.

O mesmo princípio pode ser aplicado ao quarto da criança. De acordo com Michaela Glöcker, diretora da seção médica do Goetheanum (Escola da ciência espiritual fundada por Rudolf Steiner em Dornach, Suíça), em seu livro Consultório pediátrico, devemos evitar o uso de cores berrantes, papel de parede com estampas repetitivas, materiais plásticos e lustrosos.

“Em que lugar do mundo vemos repetições infinitas e uniformes, ainda por cima de imagens irreais? Onde vemos flutuar gatinhos, bolinhas e chapeuzinhos-vermelhos? Uma estampa imprime aos limites do quarto um elemento que nada tem a ver com ele”, analisa Michaela.

Segundo ela, as paredes pintadas de uma única cor conferem uma sensação de totalidade ao ambiente. Já as cores berrantes embotam a sensibilidade à qualidade da cor.

“Numa idade em que as impressões sensoriais ainda exercem um efeito tão intenso sobre a formação dos órgãos, é fundamental para a criança a diferença entre ser exposta constantemente à visão de caricaturas, cores berrantes e superfícies lustrosas, e ter a oportunidade de conviver com cores suaves, cuidadosamente escolhidas e harmonizadas entre si, permitindo a respiração da alma”, explica Michaela.

Algumas dicas podem ser levadas em consideração pelos pais na hora de mobiliar o cômodo:

“Tentar descobrir se os objetos exprimem exteriormente o que de fato são. Uma mesa de madeira não envernizada, corresponde exatamente, na espessura das tábuas e apoios, nos veios, no tipo de junções e nas proporções, a sua qualidade interior e às funções para as quais foi concebida. Já uma mesa revestida com outro material pode esconder a má qualidade das placas de compensado, representando na superfície, algo que não possui internamente”, ensina a médica.

E como seria um quarto ideal? Ele deve ser simples, com o emprego de madeira sem verniz. No chão, tapetes de retalho, algodão ou pele de carneiro. Nas paredes, cores suaves e um quadro de anjo renascentista na cabeceira da cama. As cortinas devem harmonizar com o ambiente, propiciando uma penumbra aconchegante, sem contrastar com as cores empregadas nas paredes. Os brinquedos podem ser guardados em prateleiras.

Outra dica importante é que os pais também passem um tempo no quarto fazendo algumas de suas atividades, para que ele não seja apenas um dormitório, mas um local onde a criança goste de permanecer.

Para trazer inspiração nessa atividade tão prazerosa que é a decoração, fomos buscar alguns exemplos de quartos Waldorf em diferentes países.