O Exército de crianças zumbis

“A criança precisa dormir tanto porque é, em sua totalidade, um órgão sensório e ainda não suporta o mundo com as suas impressões ofuscantes e sonoras. Assim como o olho se fecha para se proteger da luz ofuscante do sol, a criança, sendo toda ela um órgão sensório, precisa se isolar do mundo, ou seja, precisa dormir muito.” Rudolf Steiner

Anúncios

Sono

Uma das principais queixas recorrentes que ouço de amigos que são pais é em relação ao momento de acordar seus filhos. São relatos sobre crianças que acordam mal-humorados, sem energia, com dificuldade de levantar. Os escassos minutos entre o despertar e o momento de sair viram uma batalhar par conseguir fazê-los trocar de roupa e aprontar-se para a escola. Eu mesma vivencio essas cenas de comédia pastelão em que o momento idílico imaginado por mim transforma-se em uma corrida contra o tempo em que me transformo em uma desesperada para conseguir arrumar minha filha apressadamente antes de levá-la ao transporte escolar.

Mas nem sempre é assim. Percebo que quando permito que minha filha tenha longas horas de sono, toda a rotina matinal é feita de forma agradável, tranquila, com sorrisos e tempo para uma rápida brincadeira, que pode ser cantar uma canção ou inventar uma estória rápida.

A privação de sono infantil tem sido cada vez mais comum nas famílias. Muitos vivem uma rotina atribulada, em que os pais chegam em casa tarde da noite para brincar com seus filhos. Distrações como jogos eletrônicos ou até mesmo o desenho da famosa porquinha que começa por volta das 20h30, são alguns dos motivos que fazem com que as crianças durmam cada vez mais tarde.

O que precisamos nos atentar é que o sono é vital para o desenvolvimento físico e espiritual de nossos filhos. De acordo com Rudolf Steiner, a criança precisa dormir longas horas porque até os sete anos ela é em sua totalidade um órgão sensório. “A criança precisa dormir tanto porque é, em sua totalidade, um órgão sensório e ainda não suporta o mundo com as suas impressões ofuscantes e sonoras. Assim como o olho se fecha para se proteger da luz ofuscante do sol, a criança, sendo toda ela um órgão sensório, precisa se isolar do mundo, ou seja, precisa dormir muito.”

E quantas horas são o suficiente? Na opinião da educadora Waldorf e consultora do desenvolvimento infantil na primeira infância, Helle Heckmann, o mínimo são 12 horas por noite. Em entrevista à uma rádio americana, ela afirmou que essa é uma regra da qual não podemos prescindir. Para ela é preciso trazer de volta a simplicidade, o senso comum. Segundo ela, coisas simples como fazer com que as crianças se movimentem, corram, fazem com que as crianças tenham sono à noite. Todos nós temos exemplos de noites em que nossos filhos simplesmente desmontaram após um dia repleto de brincadeiras físicas. Helle detalha mais o assunto em seu livro “The Five Golden Keys”Link para loja virtual de Helle Heckmann

Para ajudar no processo de fazer com que nossos filhos durmam as 12 horas necessárias para o seu bom desenvolvimento, a educadora Caroline Von Heydebrand, autora do livro “A Natureza anímica da criança”, recomenda instituirmos um ritmo diário em nossa rotina, que inclui o ritual para dormir. Ela afirma “O que as conduz de maneira sadia e digna ao portal do sono são contos, lendas, uma estória contemplativa, mas não moralizante, uma canção, uma melodia tranquila, um verso tendo o caráter de uma oração que liga a alma da criança com os seres divinos. Há crianças com as quais convém fazer uma retrospectiva sobre os atos e fatos do dia findo – sem moralizar, as com serenidade e simpatia para com tudo o que nesse dia foi ou não alcançado. ”

O ritmo diário de fazer as mesmas atividades sempre na mesma hora traz calma para a criança e a prepara para o que vem em seguida. “Reviver permite o aprofundamento das emoções ao mesmo tempo em que possibilita a criança antever a experiência, deixando-a mais segura e tranquila”, explica Caroline.

Qual é o seu ritual para colocar seu filho para dormir? Adoraria conhecê-los.